["Non... Rien de rien.../Non... Je ne regrette rien/C'est payé,/balayé, oublié,/Je m'en fous du passé!"]

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

sem título I

Às vezes penso que sou só morte
 como se a alma se purgasse da carne
a fazer de um corpo apenas um corpo
de um agudo frio no pé do ouvido
abafadamente ensurdecedor

puro instinto vil
a me lograr insana 

terça-feira, 2 de maio de 2017

ÓDIO AOS POETAS

                          Lucas 6:28-38 bendizei aos que vos maldizem [...]

Como sempre...
amando os poemas
e detestando os poetas
[...]
zombas em delírio feito criança
mas apura a devida maturidade
pra ser mulher que encanta

a ponto de sobrar até pra Caetana...

Desequilibrar

...é quando por descuido ou coisa assim
a minha mão cai em descuido e se perde
solta a desenhar com carinho
o contorno nítido e firme

teus traços...

no mesmo instante
vem o impacto de arrepios
fazer de ti uma Bela arte
arteira

a desconsertar-me em desequilíbrios 

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

JAMBEIRA

A Língua
com água na boca
sugava
do fundo
ventre alma embriagada
um sabor de fruta jambo

De tanta fome
cravava leve os dentes...


MANIAFOTOGRAFI
















E ficou ao sabor
Parcelados encurtados dias:
Costumes
Manias
O hábito de deixar
Ser fotografar
Por lentes nuas
Tão tuas, tão minhas... 

sábado, 4 de fevereiro de 2017

Qual dos males da magia?
Veio a ingratidão
Com futuras agonias
E me passou pelo canto
Como um cão... 

BOSSA NOVA

Quase como num jogo sinistro
O cinismo
Bossanoviando insiste
E vejo
Toda miséria dos gritos


Mas o barquinho vai... a tardinha cai...